11.4 C
Oeiras Municipality
Qua 30 Novembro 2022
Inicio Saúde CoronaVirus BQ.1.1. Nova sub-variante da Covid-19 preocupa especialistas

BQ.1.1. Nova sub-variante da Covid-19 preocupa especialistas

Há uma nova sub-variante da Covid-19, a BQ.1.1, que está a preocupar os epidemiologistas. As novas sub-variantes do coronavírus estão a competir pelo domínio, podendo criar novas vagas da pandemia.

No Reino Unido, infeções pela subvariante BQ.1.1 estão a duplicar todas as semanas, num crescimento que ultrapassa o verificado com outras sub-linhagens dominantes. Nos EUA, a mesma sub-variante está a espalhar-se a uma velocidade duas vezes superior a outra sub-variante semelhante, a BA.2.75.2.

A BQ.1.1 é classificada como “muito contagiosa” pelos especialistas, segundo a MultiNews, que cita o Daily Beast, contudo, o que está a preocupar a comunidade médica é que esta sub-variante tem a capacidade de ‘escapar’ a determinados anticorpos. Aliás, parece ser a primeira forma da Covid-19 na qual as terapias com anticorpos (evusheld e bebtelovimab, por exemplo), não funcionam de todo, revela um estudo.

A boa notícia é que as melhores vacinas funcionam contra a BQ.1.1, especialmente o reforço com vacinas “bivalentes” de mRNA (por exemplo, as últimas doses de reforço da Pfizer ou Moderna).

Os especialistas afirmam, contudo, que a adesão da população aos reforços da vacina tem diminuído, pelo que as novas vacinas ainda não estão a oferecer a devida proteção das populações contra esta variante.

Em Portugal, segundo o último relatório da vacinação, emitido pela DGS em março deste ano, mais de 80% da população entre 50 e mais de 80 anos recebeu a dose de reforço, mas a percentagem baixa nas faixas etárias inferiores. Na faixa dos 30-39 anos, fica-se pelos 38% da população com reforço e, nos 18-29 anos, nos 43%.

A BQ.1.1 parece estar posicionada para se tornar a variante dominante numa nova vaga da pandemia, numa altura e que a população global estar mais vulnerável e que os anticorpos de anteriores vacinações, reforços, infeções ou reinfeções, gradualmente estão a baixar nos próximos meses (caso não haja novo reforço).

Edwin Michael, epidemiologista no Centro de Saúde Global de Investigação de Doenças Infeciosas da Universidade de South Florida, diz que os seus modelos computorizados preveem um crescimento muito acentuado dos casos de infeção com a BQ.1.1 a partir de abril.

COMENTAR

Please enter your comment!
Por favor, digite o seu nome

- PUB -

Os mais lidos

Dia internacional da Cidade Educadora

Hoje, 30 de novembro, celebra-se o Dia internacional da Cidade Educadora, que na edição de 2022 tem como lema ‘A Cidade Educadora, cidade de...

PHC Software eleita uma das melhores empresas para trabalhar em Portugal pelo terceiro ano consecutivo

Pelo terceiro ano consecutivo, a PHC Software é eleita uma das melhores empresas para trabalhar em Portugal. Mais um passo decisivo para continuar a inspirar...

IDLES confirmados no Palco NOS da 15ª edição do NOS Alive

IDLES são a primeira confirmação para o dia 7 de julho, no Palco NOS, da 15ª edição do NOS Alive. Desde o lançamento do seu primeiro álbum, Brutalism, em 5 anos a...

2ª Milha de Queijas corre-se a 1 de dezembro

Em 2022 o Grupo Musical 1º de Dezembro de Queijas, com o apoio da Câmara Municipal de Oeiras, irá promover, pela segunda vez, a...

Comentários Recentes

ana PAULA COSTA D FERREIRA ANA FERREIRA on Novo horário do Centro de Vacinação do Pavilhão Carlos Queiroz