18.3 C
Oeiras Municipality
Sáb 31 Outubro 2020
Inicio Uncategorized ISQ vai investir mais de um milhão de euros no fabrico aditivo...

ISQ vai investir mais de um milhão de euros no fabrico aditivo (impressão 3D)

ISQ vai investir mais de um milhão de euros na área do fabrico aditivo ( impressão 3D) e espera no futuro investir mais.

A Manufatura Aditiva é uma área de aposta presente e futura do ISQ e será determinante para vários setores de atividade e vários clusters industriais que se queiram modernizar e subir na cadeia de valor, nomeadamente a nível internacional. Por isso, o ISQ está a investir em vários projetos e a criar competências nestas áreas. Está envolvido no maior projeto europeu financiado pelo Programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia, o Multifun, que envolve 21 parceiros e no qual o ISQ vai desenvolver novos materiais e equipamentos para clusters, como o caso do automóvel e da aeronáutica.

O ISQ está também envolvido no projeto SAM, que visa a criação de uma estratégia europeia para qualificações em fabrico aditivo. Está também ainda a desenvolver uma parceria com a RENISHAW na área da investigação de novos procedimentos e novos materiais.

A Impressão 3D e a manufatura aditiva vão alterar o modo de funcionamento de setores inteiros como, por exemplo, os moldes, a injeção de plástico ou mesmo a metalúrgica e metalomecânica. “Felizmente, tem existido visão estratégica por parte do governo e, nomeadamente, do Ministério da Economia e da Transição Digital, do Ministério do Planeamento e do Ministério da Ciência e Tecnologia nesta matéria e vários programas de política pública, dinamizados por exemplo pelo IAPMEI e pela Agência de Inovação e financiados pelos fundos estruturais de Portufal 2020, estão a comparticipar algumas iniciativas. É muito importante que Portugal olhe para o próximo ciclo de fundos comunitários com atenção e coloque a tónica no digital”, afirma o presidente do ISQ, Pedro Matias.

A nível global, o mercado do fabrico aditivo está avaliado em cerca de 10 mil milhões de dólares. Em Portugal ainda não existem estatísticas concretas, mas há estimativas. A médio prazo, 50% de muita da produção de componentes para, por exemplo, o setor automóvel, poderá vir a ser produzida com esta tecnologia. Algumas consultoras, como a Deloitte, estimam que a impressão 3D cresça cerca de 12,5% por ano e que as vendas com esta atividade (o que inclui impressoras, materiais e/ou serviços), por parte de grandes empresas mundiais, tenham ultrapassado os 2,4 mil milhões de euros em 2019 e possam chegar aos 2,7 mil melhões de euros já este ano.

A pandemia de Covid-19 veio acelerar a necessidade de transição digial e de perceber que muitas coisas na economia e na sociedade podem funcionar perfeitamente com base em tecnologias digitais.

2 COMENTÁRIOS

COMENTAR

Please enter your comment!
Por favor, digite o seu nome

- PUB -

Os mais lidos

Oeiras lança Campanha choque de sensibilização à recolha de dejetos caninos

“O cocó do seu cão aos olhos de uma criança” é o lema da campanha de sensibilização para a recolha dejetos caninos que a...

Concertos Comentados em Oeiras até dezembro

O Município de Oeiras tem vindo a programar de forma regular Concertos Comentados e Pedagógicos, direcionados para as áreas da Educação e Cultura, cujo...

Emoção e orgulho em mais um concerto do Ciclo “Vozes do Fado”

O Fado volta a encher Oeiras de emoção e orgulho em seis semanas com seis concertos imperdíveis. Num ano em que os concertos e festivais...

”Será possível fazer upload de informação para a mente?” discute-se hoje no Cogito

As MASTERCLASSES COGITO | Os grandes desafios da humanidade vão decorrer até ao próximo dia 5 de novembro (às quintas-feiras), e trazem à reflexão...

Comentários Recentes