18 C
Oeiras Municipality
Sáb 20 Abril 2024
Inicio Saúde Mais de 300 mil portugueses com asma não têm doença controlada e...

Mais de 300 mil portugueses com asma não têm doença controlada e carecem de intervenção

De acordo com os dados do Inquérito Nacional de Controlo da Asma de 2010 e que continuam a ser os mais recentes nesta área, em Portugal são cerca de 700 mil as pessoas com asma, uma doença que afeta todas as idades e géneros. No nosso país, a asma é uma doença subdiagnosticada, com controlo ainda insuficiente e taxas de internamento importantes sobretudo na faixa etária das crianças, sendo que morrem mais de 100 pessoas por ano, por asma, em Portugal.

 

A asma é uma doença respiratória crónica frequente, que pode ser potencialmente grave. “Apesar de não existir uma cura, esta doença pode ser controlada, com um acompanhamento e tratamento adequados, permitindo que a pessoa com asma tenha uma boa qualidade de vida e reduzindo muito todas as restrições que a asma não controlada implica”, salienta a Profª. Helena Pité, médica e especialista em Imunoalergologia no Hospital CUF Tejo e no Hospital CUF Descobertas. Apesar disto, “a asma também pode matar e qualquer morte por asma não é aceitável”, alerta a especialista que reforça ainda: “nos dias de hoje, a esmagadora maioria das mortes por asma é evitável. Existem tratamentos eficazes e seguros para todas as idades e nunca é de mais reforçar a importância de controlar esta doença”.

 

No entender da Profª. Helena Pité, na origem da “asma não controlada” podem estar alguns fatores como o “desconhecimento ou existência de alguns mitos em torno desta doença e do seu tratamento, a necessidade de fazer medicação diária preventiva e a consequente falta de adesão ao tratamento” ou também “dificuldades na administração dos tratamentos, por exemplo, no uso adequado dos inaladores”. O tratamento para a asma assenta no uso de dispositivos para inalação de medicamentos, “que permitem uma ação local, com muito maior eficácia e tolerabilidade dos fármacos utilizados”. Para contornar estas questões, destaca a importância de uma maior e melhor informação sobre a asma: “É necessário aumentar a consciencialização das pessoas com asma, dos seus familiares, amigos e mesmo de toda a comunidade para a problemática da doença, para a sua natureza crónica e para a importância de reconhecer as queixas típicas, independentemente da idade, e de cumprir o tratamento preventivo”. “Depois, é preciso ter em conta que o controlo da asma diz respeito a não ter queixas/sintomas de dia, nem de noite, não precisar de usar medicação de alívio, nem ter limitações na vida do dia-a-dia por esta doença. Esse é o alvo a atingir e só assim podemos considerar a asma totalmente controlada.”

 

A utilização excessiva1 de medicamentos de alívio rápido (broncodilatadores de curta ação) é um dos principais desafios apontados pelos especialistas desta área, que têm concentrado esforços para informar e sensibilizar a população para o tratamento adequado da asma. “Estes medicamentos de curta ação dão alívio rápido dos sintomas, das queixas de tosse, pieira, pressão no peito ou falta de ar, mas não tratam a inflamação que está na origem dos sintomas. Assim, a inflamação não é debelada, o que faz com que o problema persista e piore, com risco de ocorrer uma crise de asma, que pode ser grave. É preciso reduzir o uso dos medicamentos de alívio e aumentar o uso de medicamentos preventivos, os quais são verdadeiramente capazes de controlar a asma, reduzindo os sintomas, as limitações e as restrições na qualidade de vida das pessoas com asma, a necessidade de mais medicamentos, as crises de asma e as complicações da doença.”

 

Este ano a Global Initiative for Asthma – GINA definiu como mote para o Dia Mundial da Asma, o “Asthma Care for ALL”, por considerar que o tratamento adequado da asma é um direito de todos. O objetivo desta data é sensibilizar a população para a necessidade de conhecer a asma e as suas complicações, procurando melhorar o diagnóstico, a adesão ao tratamento e a evolução da doença.

 

Os principais sintomas da asma são a tosse, a pieira ou chiadeira no peito (ruído que se ouve ao respirar[2], como se fosse um “miado” de um gato) e a sensação de aperto no peito ou falta de ar. As infeções respiratórias, as alergias e os fatores irritantes para as vias respiratórias, incluindo a poluição e o fumo de tabaco, podem desencadear sintomas ou mesmo crises de asma. “Não podemos esquecer que muitas pessoas com asma têm sintomas provocados pelo exercício físico. Apesar disso, a solução não passa por reduzir a atividade física, mas antes por controlar os sintomas com um tratamento que permita a sua prevenção, de forma que todas as pessoas com asma possam tirar benefício da prática de exercício físico regular, sem sintomas da doença.”

COMENTAR

Please enter your comment!
Por favor, digite o seu nome

- PUB -

Os mais lidos

CMCS vence segunda etapa do Campeonato Nacional de Canoagem de Mar 2024. Manuel Duque vence esperanças

Decorreu, no passado sábado 13 de abril, em Angra do Heroísmo – Terceira, Açores, a Etapa II do Campeonato Nacional de Canoagem de Mar...

Praia de Caxias recebe este domingo simulacro de Tsunami

Mais de 60 operacionais, apoiados por 25 viaturas, da Proteção Civil Municipal de Oeiras vão estar, a partir das 10:00 de domingo, na Praia...

CMCS participa do Campeonato Europeu de Canoagem de Mar 2024

Decorreu, no passado sábado 13 de abril, em Angra do Heroísmo – Terceira, Açores, o Campeonato da Europa de Canoagem de Mar 2024. Sob...

Palácio dos Aciprestes vai ser palco do concerto Septeto Martinu

O Palácio dos Aciprestes, em Linda-a-Velha, recebe o grupo Septeto Martinu no próximo dia 22 de abril, pelas 18h, para uma jornada musical e...

Comentários Recentes